• Unidade Luziânia

    Temos uma equipe medica capacitada, renomada e experiente que utiliza em todos os procedimentos a melhor tecnologia disponível em conhecimento e equipamentos. Venha nos conhecer e saber o que temos de melhor a oferecer em saúde e bem estar para sua visão.

    Exames

    • Biometria

    • Ceratoscopia

    • Curva Tensional Diária

    • Mapeamento de retina

    Cirurgias

    • Anel de Ferrara

    • Catarata

    • Glaucoma

    • Pterígio

    Profissionais

    • Dr . Alencar Gomes

    • Dr. Francisco Porfírio
    • Dr. Gustavo de Castro

    • Dr. José Roberto

    H.O.C.O. há 10 anos servindo com qualidade e profissionalismo! Veja abaixo uma lista completa de todos os procedimentos que estamos aptos a realizar:

    Exames

    • Angiofluoresceinografia Computadorizada
    • Exame que faz o estudo da circulação sanguínea no fundo do olho, essencial para a avaliação da retinopatia diabética, obstruções vasculares, degeneração macular senil, etc.

    • Biometria
    • Exame capaz de medir, dentre outros parâmetros, qual é o tamanho do olho. É essencial, junto com a ceratoscopia, para realização do cálculo do grau de lentes intraoculares (na cirurgia de catarata). Temos a ultima tecnologia que é a Biometria Óptica com aparelho AL – SCAN – NIDEK.

    • Campimetria
    • Exame capaz de mapear o campo visual do paciente a fim de detectar defeitos que podem indicar doenças retinianas, glaucoma ou até mesmo doenças neurológicas.

    • Ceratoscopia
    • Exame computadorizado que estuda a superfície e a curvatura da córnea capaz de demonstrar tipos de astigmatismos (regular, simétrico), ectasias corneanas (ceratocone) e irregularidades cornenanas.

    • Curva Tensional Diária
    • Exame consiste na medição da pressão intra-ocular em diferentes horários ao longo do dia. Afim de diagnóstica e monitorar o glaucoma.

    • Ecografia Ocular
    • Exame capaz de evidenciar lesões retinianas, tumores, descolamento de retina, mesmo em situações em que não há transparência dos meios opticos, tais como hemorragia vítrea, leucomas corneanos e cataratas totais.

    • Gonioscopia
    • Exame que visualiza a região do olho responsável pela reabsorção do liquido interno do olho chamado humor aquoso. Alterações nessa região podem predispor crises agudas de glaucoma, podem indicar o tipo de glaucoma (neovascular, angulo fechado, aberto, pigmentar, etc).

    • Mapeamento de retina
    • Exame onde o médico verifica toda extensão da retina (da parte mais central até a extrema periferia) com o intuito de excluir ou identificar alterações retinianas tais como descolamentos de retina, rotura, tumores, infeccões, assim como avaliar o nervo óptico e os vasos sanguíneos retinianos.

    • Microscopia Especular
    • Exame capaz de visualizar as células que estão na superfície interna da córnea (endotélio corneano). Alterações no endotélio corneano podem predispor mais ao edema (inchaço) corneado após alguns procedimentos cirúrgicos, tais como catarata.

    • Paquimetria Ultrassônica
    • Exame que mede qual a espessura da córnea. É essencial para investigação de suspeita de glaucoma, assim como pode detectar aumentos na espessura corneana secundários à edemas (inchaços) corneano.

    • Retinografia Computadorizada
    • Exame que consiste em fotografar o fundo do olhos buscando documentar, medir e visualizar com mais detalhes estruturas do fundo do olho tais como o nervo óptico, cicatrizes ou lesões retinianas, tumores intraoculares, etc.

    Cirurgias

    • Anel de Ferrara

    • Blefaroplastia
    • Cirurgia plástica que melhora o aspecto das pálpebras superiores e inferiores, eliminando bolsas de gordura, rugas, flacidez e com isso rejuvenescendo a região em torno dos olhos.

    • Catarata
    • Catarata é uma doença que causa a perda da transparência do cristalino. O cristalino é uma lente que todos nós temos dentro do olho e que tem a função de focar as imagens. Depois dos 40 anos o cristalino vai ficando mais rígido, o que causa dificuldade de focar a imagem para perto (vista cansada).

      O sintoma mais comum da catarata é o embaçamento visual que não melhora com óculos. A pessoa vai cada vez tendo mais dificuldade de enxergar, ás vezes com dificuldade de distinção de cores e diminuição da sensibilidade ao contraste. Em casos mais avançados a catarata pode levar a cegueira total.

      O tratamento de catarata é cirúrgico. Colírios e óculos não são capazes de melhorar ou retardar a progressão da doença. Durante a cirurgia usa-se um aparelho chamado facoemulsificador que é capaz de, ai mesmo tempo, triturar e sugar a catarata ainda dentro do olho. Após a retirada da catarata, o médico coloca uma lente artificial dentro do olho para substituir aquele cristalino que estava opacidicado. Existem alguns tipos de lentes que, em alguns casos, podem até substituir a necessidade do uso de óculos de grau depois da cirurgia.

      A prevalência da catarata aumenta com a idade. Assim, estima-se que 10% da população norte-americana tenha catarata, e que esta prevalência aumenta em 50% no grupo etário de 65 a 74 anos, enquanto em pessoas acima de 75 anos a incidência aumenta para 75%.

    • Calázio
    • Canaliculoplastia

    • Dacrio

    • Evisceração

    • Glaucoma
    • O glaucoma é uma doença que lesa o nervo óptico geralmente não apresenta sintomas e gradualmente leva à perda da visão, sendo hoje a 2ª maior causa de cegueira no mundo. E por isso é perigoso porque a pessoa pode ter glaucoma e não saber. Só quando a pressão está muito elevada é que a pessoa pode sentir dor nos olhos e na cabeça.

    • Injeção de Avastin

    • Injeção de Lucentis

    • Injeção retro-bulbar
    • Pterígio
    • É o crescimento de uma membrana sobre o olho, ocorre normalmente na parte de dentro do olho. As principais causas do aparecimento do pterígio são a presença de fatores irritativos oculares tais como a exposição excessiva da luz solar, poeira, calor e fumaça.

      O pterígio além de afetar esteticamente o paciente, costuma causar muita vermelhidão e irritação ocular. O pterígio pode causar baixa visual principalmente se ele crescer o suficiente para atingir o eixo visual.

      Como é o tratamento?

      Os sintomas de irritação e vermelhidão ocular podem ser amenizados com o uso de colírios lubrificantes e as vezes pode ser necessários ate o uso de colírios anti-inflamatórios.

      O tratamento cirúrgico normalmente é indicado quando os sintomas não são controlados com colírios, quando a visão é comprometida pelo crescimento do pterígio e até por razão estéticas.

    • Ptose Palberal

    • Reconstituição de pontos lacrimais
    • Transplante de Conjuntiva
    • Fina camada que recobre o globo ocular, a qual é transplantada da porção superior do olho para a área onde existia o pterígio, devolvendo assim a fisiologia e anatomia normal da área afetada. Dessa forma, a recuperação é a mais rápida e a chance de recidiva diminui para 3 a 5%.

      Atualmente temos utilizado com o sucesso o adesivo de fibrina(Cola biológica) nos transplantes de conjuntiva para o tratamento do pterígio.

    • Tumor Excerese (de Pálbebra)

    • Tumor de Órbita
  • Unidade Valparaíso

    Temos uma equipe medica capacitada, renomada e experiente que utiliza em todos os procedimentos a melhor tecnologia disponível em conhecimento e equipamentos. Venha nos conhecer e saber o que temos de melhor a oferecer em saúde e bem estar para sua visão.

    Exames

    • Microscopia

    • Tomografia de Coerência Óptica(OCT)

    • Paquimetria Ultrassônica

    • Retinografia Computadorizada

    Cirurgias

    • Crosslinking

    • Fotocoagulação a laser

    • Iridectomia

    • LASIK/PRK

    Profissionais

    • Dr. Alencar Gomes

    • Dr. Francisco Porfírio
    • Dr. Gustavo de Castro

    • Dr. José Roberto

    H.O.C.O. há 10 anos servindo com qualidade e profissionalismo! Veja abaixo uma lista completa de todos os procedimentos que estamos aptos a realizar:

    Exames

    • Biometria
    • Exame capaz de medir, dentre outros parâmetros, qual é o tamanho do olho. É essencial, junto com a ceratoscopia, para realização do cálculo do grau de lentes intraoculares (na cirurgia de catarata). Temos a ultima tecnologia que é a Biometria Óptica com aparelho AL – SCAN – NIDEK.

    • Campimetria
    • Exame capaz de mapear o campo visual do paciente a fim de detectar defeitos que podem indicar doenças retinianas, glaucoma ou até mesmo doenças neurológicas.

    • Ceratoscopia
    • Exame computadorizado que estuda a superfície e a curvatura da córnea capaz de demonstrar tipos de astigmatismos (regular, simétrico), ectasias corneanas (ceratocone) e irregularidades cornenanas.

    • Curva Tensional Diária
    • Exame consiste na medição da pressão intra-ocular em diferentes horários ao longo do dia. Afim de diagnóstica e monitorar o glaucoma.

    • Ecografia Ocular
    • Exame capaz de evidenciar lesões retinianas, tumores, descolamento de retina, mesmo em situações em que não há transparência dos meios opticos, tais como hemorragia vítrea, leucomas corneanos e cataratas totais.

    • Gonioscopia
    • Exame que visualiza a região do olho responsável pela reabsorção do liquido interno do olho chamado humor aquoso. Alterações nessa região podem predispor crises agudas de glaucoma, podem indicar o tipo de glaucoma (neovascular, angulo fechado, aberto, pigmentar, etc).

    • Mapeamento de retina
    • Exame onde o médico verifica toda extensão da retina (da parte mais central até a extrema periferia) com o intuito de excluir ou identificar alterações retinianas tais como descolamentos de retina, rotura, tumores, infeccões, assim como avaliar o nervo óptico e os vasos sanguíneos retinianos.

    • Microscopia Especular
    • Exame capaz de visualizar as células que estão na superfície interna da córnea (endotélio corneano). Alterações no endotélio corneano podem predispor mais ao edema (inchaço) corneado após alguns procedimentos cirúrgicos, tais como catarata.

    • Paquimetria Ultrassônica
    • Exame que mede qual a espessura da córnea. É essencial para investigação de suspeita de glaucoma, assim como pode detectar aumentos na espessura corneana secundários à edemas (inchaços) corneano.

    • Retinografia Computadorizada
    • Exame que consiste em fotografar o fundo do olhos buscando documentar, medir e visualizar com mais detalhes estruturas do fundo do olho tais como o nervo óptico, cicatrizes ou lesões retinianas, tumores intraoculares, etc.

    • Tomografia de Coerência Óptica(OCT)
    • OCT de retina (mácula) – exame capaz de mostrar com detalhes todas as camadas da retina (aproximadamente como se fossem vistas num corte histológico ao microscópio). É essencial para o diagnóstico, acompanhamento e estadiamento de doenças retininas tais como degeneração macular senil, retinopatia diabécia, edemas maculares, buraco macular, etc.
      OCT de papila (nervo óptico) – exame capaz de medir a escavação do nervo óptico e a espessura da camada de fibras nervosas da retina em volta do nervo óptico. Esses parâmetros são essenciais para o diagnóstico precoce do glaucoma, assim como acompanhamento do glaucoma afim de verificar se a doença progrediu ou não.

    Cirurgias

    • Capsulotomia
    • Abertura feita na capsula posterior do cristalino que pode, em algumas situações, ficar opacificada após a cirurgia de catarata e causar baixa visual.

    • Crosslinking
    • Técnica em tratamento do ceratocone consiste no retardamento da progressão do ceratocone. O procedimento visa ao aumento da rigidez da córnea, para estabilizar a biomecânica da córnea e reduzir a progressão da ectasia.

    • Fotocoagulação a laser

    • Iridectomia
    • Pequena abertura feita na íris afim de tratar ou prevenir crises agudas de glaucoma.

    • Yag laser

    • LASIK/PRK
    • LASIK é técnica que consiste na criação de uma lamela (flap) para a posterior aplicação dos feixes de laser na parte central da córnea. O Lasik tem como grandes vantagens a recuperação visual muito rápida, com mínimo desconforto pós-operatório. A técnica de Lasik pode ser utilizada nas correções de miopia, astigmatismo e hipermetropia.

      Já no PRK o laser (Photorefractive keratectomy) é aplicado diretamente na córnea sem realização do FLAP. É utilizada uma lente de contato como proteção nos primeiros dias, e a recuperação visual é mais lenta que a do Lasik mas com o mesmo resultado visual após algumas semanas.

  • Unidade Luziânia

    Praça Raimundo de Araújo Melo, Lote 114 Sala 12/13, Hospital Maternidade Santa Luzia Luziânia/GO - CEP 72800-630 (61) 3622-0088
    Leia mais
  • Unidade Valparaíso

    Quadra 04, Lote 01, Valparaíso I - Etapa A Valparaíso de Goiás/GO CEP 72876-011 (61)3629-1224
    Leia mais
  • Atendimento

    • Segunda - Sexta
      8:00 - 18:00
    • Sábado
      8:00 - 12:00
    • Domingo
      Sem expediente

Fale com o especialista

Agora você pode tirar suas dúvidas com os nossos especialistas em Oftalmologia. Preencha o formulário abaixo e em curto prazo responderemos a sua pergunta. Agradecemos a preferência!.


Como agendar um procedimento

É muito fácil ligue para um dos telefones abaixo, escolha o melhor horário e agende o seu procedimento.